sábado, 18 de maio de 2019

"Detective Pikachu" - Critica com Spoilers


Como prometido esta é a critica COM SPOILERS do filme "Detective Pikachu", se quiserem ler a review sem spoilers, cliquem aqui.

Como sempre, LETRAS BRANCAS para evitar olhares descuidados se esta review estiver a ser vista no vosso computador.



Logo no inicio do filme, fiquei intrigado com a presença do Mewtwo. Qual é que era o papel dele?

Assim como em toda as histórias de mistério, cabe a nós (e ao Tim e ao Detective Pikachu) descobrir a resposta.

E o que eles descobrem? O presidente e fundador de Rime City, Howard Clifford, planeava transferir a sua consciência para o Mewtwo e usar um soro chamado "Soro R", que faz os Pokémon ficarem ferozes, para que ele os fundam com os seus donos (estilo "A Mosca", 1986), permitindo assim que os humanos evoluam dentro dos seus Pokémon. Claro que o plano dele foi arruinado pelos protagonistas.

E Mewtwo, depois de ser livre e difundir os Pokemón dos seus donos, revela ao Tim onde está o pai dele.

Na verdade, o Detective Pikachu é uma fusão entre o pai do Tim, Harry (que é interpretado pelo Ryan Reynolds) e o seu Pikachu de estimação, criado pelo Mewtwo para pedir ajuda ao Tim. Fazia sentido, visto que ao longo do filme, nunca víamos a cara do pai do Tim.

Outra coisa que reparei, Karan Soni, o Dopinder de "Deadpool" (2016-presente?) também entra no filme. Será que ele entrou a pedido do seu colega, Ryan Reynolds?

Como disse, está um filme excelente para fás e não-fás (como eu) do franchise de jogos.

Agora imagino como é que eles vão fazer a sequela sem um Pikachu que fala "á Deadpool" apenas para o Tim. Mas enfim...